Artigos

como-fazer-uma-inspeção-detalhada-dos-equipamentos-de-acesso-por-cordas

Como fazer uma inspeção detalhada dos equipamentos de acesso por corda. Confira!

 É recomendado que uma inspeção detalhada dos equipamentos de acesso por corda seja registrada.

A inspeção detalhada e as informações registradas devem levar em consideração as recomendações do fabricante e o ambiente de trabalho. Certamente a guardar deve ser mantida por menos de dois anos, ou mais, caso seja exigida pela legislação local. Estes registros devem incluir ao menos o seguinte:

  • O nome e endereço do empregador para a qual inspeção detalhada foi realizada;
  • O endereço das instalações nas quais a inspeção detalhada foi realizada;
  • Informações que sejam suficiente para identificar o equipamento (ex: um número de série), incluindo sua data de fabricação, quando esta for conhecida.

As seguintes datas:

  • Primeiro uso;
  • Ultima inspeção detalhada;
  • A data mais recente para a próxima inspeção detalhada;

De acordo as indicações feitas no equipamento e/ou informações fornecidas pelo fabricante, a carga nominal máxima ( e minima, quando adequado) ou sua carga segura de trabalho ou limite de carga de trabalho ou equivalentes, levando em consideração as configurações nas quais o equipamento possa vir a ser utilizado, que também pode ser aceitáveis por parte do fabricante;

Caso seja a primeira inspeção detalhada:

  • Especificar que esta é a primeira inspeção detalhada;
  • Declarar que o equipamento funciona corretamente e é seguro para a utilização;

Caso não seja a primeira inspeção detalhada:

  • Que ocorra dentro de  um intervalo de 06 meses;
  • Esteja de acordo com intervalos definidos por um programa de inspeções elaborado por uma pessoa competente e seguindo as orientações do fabricante;
  • Após utilização em um ambiente com condições severas;
  • Após a ocorrência de circunstâncias excepcionais passíveis de comprometer a segurança do equipamento;
  • Declarar que  equipamento funciona corretamente e é seguro para a utilização;

Em relação a cada inspeção detalhada, com referencia aos relatórios de inspeção detalhada anteriores:

  • A identificação de qualquer peça defeituosa que seja ou possa se tornar um risco para as pessoas;
  • Detalhes de qualquer reparo, renovação ou alteração necessária para solucionar um efeito que representa um risco para pessoas;
  • Em caso de defeito que ainda não representa um risco, mas pode vir a se tornar um risco para pessoas;
  • Instruções para técnicos e supervisores de acesso por corda para monitorar o defeito de perto durante a verificação prévia ao uso;
  • A data mais recente para a próxima inspeção detalhada( No caso de um equipamento que possui um defeito que ainda não representa, mas pode vir a se tornar um risco, as inspeções detalhadas podem ser mais frequentes do que o normal);
  • Onde a inspeção detalhada incluir testes, os detalhes de qualquer teste:
  • Data da inspeção detalhada;

O nome, endereço e competência (ex: ter participado e recebido em um curso de treinamento do fabricante) da pessoa que elaborou o relatório; se esta pessoa é autônoma ou, caso seja empregada, ou nome e endereço do empregador.

Por fim o nome e endereço da pessoa que assinou e autenticou o relatório em favor do seu autoe e a  data do relatório.

 

 

 

Fonte: IRATA.org

 

 

Instalação de ancoragem. Saiba como!

O sistema de ancoragem é a importância primária no sistema de acesso por corda e deve ser indubitavelmente seguro.

A força máxima de impacto admissível ao usuário em caso de queda não deve ultrapassar de 6 KN; portanto, a força estática de todas as ancoras, com exceção das ancoras de desvio e ancoras fixadas simplesmente para manter a posição dos cabos de ancoragens devem ser de pelo menos 15 KN. As ancoras de desvio e as ancoras fixadas simplesmente ara manter a posição dos cabos de ancoragem podem ter força estática menor do que isso, mas devem ser suficientes para a carga que pode ser aplicada.

Instalação de ancoragem

Equalização de amarrações com a corda.

Para aumentar a segurança esses pontos de ancoragens  devem ser interligados como na figura a baixo;

Sendo que o angulo ideal é ate 90 graus e o máximo aceitável é 120 graus.

Nó orelha de coelho ( para equalizar a amarração)

 

Se caso houver corda danificada e a mesma,  for identificada no momento em que estiver suspenso, deve-se aplicar um nó borboleta, para isolar a área danificada da corda e garantir a segurança. Caso seja identificado antes de começar as atividades recomenda-se que  a corda seja substituída.

 

Nó de pescador para o final da corda.

Deve-se observar a importância do nó para o final da corda,  deve ser aplicado com no mínimo  trinta centímetros a cima do final da corda, dessa forma evita-se que o técnico dessa livremente ao final  da corda.

 

Quando em uso, é necessário tomar as precauções adequadas para prevenir danos aos cabos de ancoragem. Sempre que possível, os cabos de ancoragem devem ser organizados de forma que eles pairem livremente. Como sistema de desvio ou reancoragem e de modo a evitar que corram sobre bordas abrasivas ou cortantes, ou ainda superfícies quentes. Quando isto não for possível, é essencial que os cabos de ancoragem sejam adequadamente protegidos, por exemplo, pelo uso de roletes, acolchoamento das bordas ou outros tipos de protetores de corda.

Obs:o conteúdo fornecido não substitui um treinamento teórico e prático de acordo NBR15475.
Quer ver mais posts como este?

deixe um comentário a baixo e nos diga o que você quer  saber!

Compartilhe e leve conhecimento aos seu amigos 😉

 

 

Acesso por cordas. Você está apto para esta profissão? Confira!

O trabalho em altura exige que o individuo tenha atitude, aptidão, capacidade física e treinamento adequado.  Portanto, alguma forma de exame é necessária para avaliar adequadamente todos os possíveis candidatos.

É importante que sempre se possa contar com um comportamento sensato e responsável por parte dos técnicos.  Os técnicos em acesso por cordas devem ser suficientemente saudáveis e livres de qualquer deficiência que possa impedi-los de trabalhar com segurança em altura.

Contra indicações incluem:

  • Doença cardíaca/dores no peito;
  • Pressão sanguínea alta ou baixa;
  • Epilepsia, convulsão, perda de consciência;
  • Medo de altura/vertigem;
  • Tontura/problemas com equilíbrio;
  • Deficiência funcional dos membros;
  • Dependência de álcool ou drogas;
  • Enfermidade psiquiátrica;
  • Obesidade;
  • Diabetes.

 

É de responsabilidade dos trainees ou de seus empregadores garantir que ele esteja em condições físicas e médicas para realizar o treinamento em acesso por corda.

Os Funcionários tem como responsabilidade com seus empregadores e seus próprios colegas de trabalho notificar quais quer mudanças em sua condição medica ou física que possa vir a afetar o seu trabalho. Isto inclui os efeitos de álcool ou drogas.

Aos técnicos em acesso por corda devem ser dada a oportunidade de não trabalhar em altura caso eles não estejam se sentindo apto para realizar  tal tarefa.

 

Experiencia, atitude e aptidão

Todas as pessoas que trabalham em altura precisam ter pelo menos formação elementar em relação aos diferentes métodos de proteção contra queda( ex: proteção contra queda, restrição de trabalho, sistema com redes de segurança, bolsas infláveis, plataformas de trabalho elevatórias moveis) alem das metodologias necessárias para o acesso por corda.

A avaliação para saber se uma pessoa se adapta ao trabalho de acesso por corda exige que se leve em consideração sua experiencia previa de trabalho. As referencias devem ser recolhidas a fim de verificar a experiencia e os níveis de competência. Os empregadores devem levar em consideração a experiencia comercial e as atividades relevantes, para garantir a utilização de ferramentas e equipamentos.

Os empregadores devem procuram assegurar que os técnicos em acesso por cordas, incluindo os trainees, alem da sua qualificação IRATA Internacional e/ ou IRATA Brasil, tenham também atitude e aptidão adequadas essas incluem:

  • Uma mente apta para trabalho em altura
  • Habilidade natural ou em potencial para o trabalho com acesso por corda;
  • A habilidade de trabalhar em equipe;
  • Uma atitude responsável em relação a segurança;
  • Um desejo de aperfeiçoar suas habilidades;
  • Um padrão de comportamento profissional.

 

Eai, esta preparado para uma das profissões mais cresce no país? comente o que você achou e compartilhe com seu amigos!  🙂

Black Friday High Service, Curso IRATA. Confira!

Se você chegou até aqui parabéns!

Não perca a oportunidade de se tornar um técnico de acesso por cordas com reconhecimento nacional e internacional e ser um profissional requisitado no mercado de trabalho. Um curso que será indispensável no currículo que já é pre-requisito de muitas empresas.

OBS: Curso de formação IRATA em conformidade com a NR35 anexo 01, ABNT NRB 15475, Certificado com selo do INMETRO.

whatsapp-image-2016-11-03-at-22-10-08kjhgfddfghj

Com essa oportunidade você fará um curso de formação em uma das escolas mais conceituadas do brasil, a primeira do Norte e Nordeste.

whatsapp-image-2016-11-03-at-22-17-09whatsapp-image-2016-11-03-at-23-43-12

com tudo você fará sua formação em um centro com estruturas amplas e arejadas onde simula uma área industrial com plataformas, passarelas , tubulações treliças, contêineres , tudo que irá encontrar em uma área industrial, sala com ar-condicionado, wifi, estacionamento privado, e ainda contara com um time de instrutores com mais de 15 anos de experiencia.

whatsapp-image-2016-11-03-at-22-04-26 whatsapp-image-2016-11-03-at-22-02-35

 

 

 

 

 

 

Para sua comodidade ainda dispomos de Alojamento com wifi, estacionamento com portão eletrônico e câmeras de vigilância.

Estamos localizados na AV. Severino vieira 931, polo de apoio de Dias Dávila, apenas 25 minutos do aeroporto de salvador ao lado do polo petroquímico de Camaçari.

Quer mais informações?

Contatos: (71) 3648-1483, whatsapp (71)9-9997-2630/ contatos@hstba.com.br

 

Clique aqui MATTRICULE-SE JÁ

cartoes

 

Você sabe a importância de um plano de resgate?”

 No inicio do dia você e sua equipe se prepara para mais um dia de trabalho, separa seus equipamentos, suas ferramentas, prepara seu sistema de ancoragem perfeito, se aborda e da inicio aos trabalhos, de repente você olha para o lado  e ver um membro da sua equipe desmaiado, o que fazer? como presta um resgate imediato?  É ai que entra a importância de um plano de resgate.

Antes de começar suas atividades faça uma analise dos riscos, crie um plano de resgate e deixe equipamentos disponíveis em fácil acesso, com amarrações e ancoragens adequadas para o resgate de pessoas.

Os técnicos de acesso por cordas devem ser treinados e capacitados para executar quais quer tarefa de acesso que seja necessária incluindo resgate e colegas de trabalho e só devem receber tarefas adequadas para seu nível de treinamento.

 


A equipe de trabalho deve ser capacitada para autoresgate e resgate da própria equipe NR35 ANEXO1 4.1

3 Tipos de inspeções que todo equipamento de acesso por cordas deve ser submetido. Confira!

Você costuma inspecionar os equipamentos em que trabalha? não? então fique atento a esta informação. listei neste post 3 tipos de inspeções em que todo equipamento de acesso por cordas deve ser submetido. confira!

 

 1. Inspeção prévia ao uso

A verificação prévia ao uso consiste de inspeção visual e táctil, que deve ser realizada antes de cada uso diário.              A documentação formal para inspeções diárias não deveriam ser obrigatórias, embora alguns usuários possam desejar incluir uma lista de verificações na documentação de inspeção diária. É prudente monitorar as condições do equipamento de maneira contínua, e não apenas no início do dia

 

 2. Inspeção detalhada

Deve haver um procedimento formal de inspeção para garantir que o equipamento seja minuciosamente inspecionado por uma pessoa competente ( nível 3) antes de seu primeiro uso, e depois em intervalos que não ultrapassem seis meses, ou de acordo com um esquema escrito de inspeção. A inspeção deve ser realizada de acordo com qualquer orientação fornecida pelo fabricante. Os resultados das inspeções detalhadas devem ser registrados. Para uma lista recomendada de informações a serem registradas durante uma inspeção detalhada.

 

3. Inspeção provisória

Quando o equipamento for utilizado em condições exaustivas ou em eventos excepcionais onde a segurança tenha sido comprometida, inspeções adicionais (chamadas de inspeções provisórias) devem ser realizadas. Esta são inspeções adicionais à inspeção detalhada e a verificação normal prévia ao uso. Elas devem ser realizadas por uma pessoa competente (nível 3), em intervalos determinados pela avaliação de risco. Os intervalos adequados para as inspeções provisórias podem ser decididos ao se levar em conta fatores como quais itens são submetidos a altos níveis de desgaste e laceração (ex: cargas incomuns ou um ambiente arenoso) ou contaminação (ex: em uma atmosfera de produtos químicos). As inspeções provisórias devem ser registradas.

 

gostou? compartilhe  se foi útil para você pode ser útil para outros profissionais!

 

fonte: irata.org

 

Conheça o Acesso por Cordas, uma forma Rápida e segura de Trabalhar!

O Que é Acesso por Cordas?

12963579_1025039937543301_792277914980449601_nsistema de acesso por corda da IRATA International é um método seguro de trabalho em altura, onde cordas e equipamentos associados são usados para obter acesso  ao local de trabalho.

A vantagem de usar métodos de acesso por cordas reside principalmente na segurança e rapidez com que os trabalhadores podem obter  para locais difíceis e, em seguida, realizar o seu trabalho, muitas vezes com um impacto mínimo sobre outras operações de área nas proximidades. Outro grande benefício é que a combinação do total de horas de trabalho e o nível de risco para uma determinada tarefa  é frequentemente reduzido quando comparado com outros meios de acesso e seus riscos associados e custos.

O objetivo principal ao utilizar métodos de acesso por corda é planejar, gerenciar e realizar o trabalho com acidentes mínimos, incidentes ou ocorrências perigosas, ou seja, para garantir um sistema seguro de trabalho é mantida em todos os momentos, e sem danos à propriedade ou dano ao o ambiente.

IRATA International tem em prática um regime constante evolução dos procedimentos de trabalho que os membros são obrigados a seguir e que são monitorados pela conformidade para garantir que um sistema de trabalho seguro é estabelecido e mantido. Isso define empresas associadas IRATA internacionais para além de empresas de acesso por cordas que não estão sujeitos a um esquema tão rigoroso.

 

Fonte: irata.org